Quinta da Boavista Vinha do Oratório

denso e concentradoQuinta da Boavista Vinha do Oratório

Terroir

Localizada perto do Pinhão, na margem direita do Douro, a Quinta da Boavista é dona de uma vista espetacular sobre o rio. Trata-se de uma das propriedades mais icónicas da região demarcada conhecida, não só pela sua ligação histórica ao Barão de Forrester, mas também pelos seus 36 hectares de vinhas de alta qualidade.

O Quinta da Boavista Vinha do Oratório é um vinho cujas uvas provêm de uma só parcela, que recebeu o nome de Oratório devido aos seus impressionantes terraços ondulados com quase 8 metros de altura.

Castas

Ex-libris da Quinta da Boavista e do Douro, a Vinha do Oratório é formada por altos e curvados terraços em forma de oratório que chegam a atingir 8 metros de altura. A vinha, virada a Nascente tem uma altitude que varia entre os 80 e os 175 metros e possui uma mescla de mais de 25 castas durienses. Com uma idade média superior a 90 anos, estas vinhas permitem-nos produzir um vinho de marcante concentração e complexidade.

Vinificação

Na Quinta da Boavista, para garantir a preservação das características da casta e o controlo total do processo produtivo, recorremos à vindima manual e à escolha manual de cachos, seguidos de um desengace e suave esmagamento dos bagos.

Como reservatórios de fermentação usaram-se os tradicionais lagares de granito com pisa a pé, posteriormente o vinho estagiou em barricas de carvalho francês durante, pelo menos, 18 meses. Todos os vinhos são vedados com cortiça natural. Não sendo filtrados nem estabilizados pelo frio, podem dar origem a um precipitado com a idade.

A cor rubi profunda auspicia um vinho denso e concentrado. No nariz, a complexidade da matriz vai-se materializando em diversos estratos, a fruta preta surge em primeiro plano e vai sendo alicerçada com notas de tabaco, especiarias e toques balsâmicos. Na boca é cheio e sedoso, com taninos gordos e uma acidez generosa que lhe adjudica um buliçoso final. Um vinho repleto de vivacidade.

Ideal para acompanhar pratos de carnes vermelhas, de caça ou queijo.